segunda-feira, fevereiro 28, 2011

Aniversários: Março 2011

Fazem anos neste mês de Março:



FRANCISCO FERREIRA BAPTISTA 07MAR (1945)

JOSÉ DOS SANTOS JORGE 09MAR (1945)

ANTÓNIO JOSÉ VALADAS BORREGO LINHAN 12MAR (1943)

ZENÓBIO JOSÉ ROQUE CAVACO 24MAR (1944)

FERNANDO SANCHES DE OLIVEIRA 25MAR (1943)



Um abraço de parabéns para todos.

domingo, fevereiro 27, 2011

O PERIGO NO ATLANTICO SUL


Esta é a orca que foi pescada, ao currico e ao tiro, não de caça submarina, mas literalmente de uma pistola Walther 9mm prateada.
Conforme podem verificar o esqualo deveria ter para mais de 3m e pesava para cima de 1 ton. ( pelo menos).
Consta que na cozinha das praças se terá preparado um petisco que não me recordo do que se tratava, para alem da sensata e óbvia sopa de barbatana de "cação", à moda de Estremoz.

sábado, fevereiro 26, 2011

Ela ou ele?

Na Marinha Britânica a tradição do uso do feminino para a designação dos navios de Sua Majestade, tem esta "antiga e séria" justificação.


Na Marinha Portuguesa que não segue aquela linha, é curiosa a forma como designamos os navios, no feminino ou no masculino: A Magalhães Correa, a Roberto Ivens, a Baptista de Andrade, a Dragão, a Escorpião ou a Pero Escobar, ou, por outro lado, o Albacora, o Zambeze, o Brava, o Shultz Xavier, o Almeida Carvalho, o S. Gabriel ou o S. Miguel (de triste memória, não o santo mas o navio).

Fazemo-lo sem hesitação e porque razão? Consoante o tipo de navio.

E como se referem (e porquê) os NRP Mandovi, Cacine (que dá nome à classe), Cunene, Save, Limpopo e restantes 5 da mesma classe?

quinta-feira, fevereiro 24, 2011

Em viagem de instrução em 1966



Penso que terá sido em Maio de 1966, aquando num embarque na "CORTE-REAL" e na "DIOGO CÃO". Este desembarque para Bissau foi feito nesta LDP, e na foto são facilmente identificáveis: MPereira, Tito, Pascoal, Pinho, ZViegas,RMarques, Anaia, Cabrita, e em segundo plano ( na Foto óbviamente) Fonseca, Rocha da Silva, SHenriques, Catarino. Presumo que a olhar para a água seja o XCSilva e o de cabeça baixa, o CRoque ou Costa e Silva (?). Destes, já falta um do qual guardo imensas saudades.

NOS DRAGA-MINAS


Em Novembro de 1964, após termos fundeado em Sesimbra, no NRP "S. ROQUE". Pelo aspecto o Sudoeste provávelmente não foi tão rijo como costumava ser, caso contrário alguns dos que aqui aparecem estariam recolhidos pelo escóvem ao paiol da amarra.
Podem identificar-se : AAlmeida, ACFidalgo, CFeitoria, BVentura, Catarino,PGReynaud, ASPinho, JRLeite.
Malta brava e marinheira com vontade de vencer. Destes, infelizmente já falta um, que recordo com saudade.

quarta-feira, fevereiro 23, 2011

O meu CSNG (1998/99)


Ainda o meu CSNG, em Bruxelas num magnifico jantar em casa do Alm. Junqueiro Sarmento (MILREP), oferecido pelo simpatiquissimo casal.
Sentados, da esq. para a dir.: Alm. Sarmento, VFilipe, SPinho, Blanco Nuñez (ESP) MAlves, Ferreira da Silva (BRA) e MCortes.
Em pé: RRodolfo, ALopes, CRebelo, Botelho Leal e JVillas-Boas.

terça-feira, fevereiro 22, 2011

Jantar finalistas OC


No jantar de finalistas do OC, uma mesa com 4 CRs e um mancebo, todos eles bem identificáveis. Volto a referir que usei a tecnologia photoshop para "caucasionar" o nosso MdS. Quanto ao AAP, está feliz e sorridente.

CSNG - 1998/1999



Seminário final do CSNG 1998/1999, com 2 CRs, em primeiro plano, (ASP e JVB) não se vendo o 3º, o nosso MC (EMQ).
Só para recordar, sem mais comentários.

Os Corte-Real


Fac-simile dum livro sobre os Corte-Real.

Sempre em busca de informação sobre o nosso patrono.




Disponibilizado todo o livro (em pdf) pelo CSCarreira

segunda-feira, fevereiro 21, 2011

Comemoração dos 40 anos do CR. Almoço de 10OUT2003

Para memória futura.


Ementa do almoço oferecido ao CR em 10 de Outubro de 2003, por ocasião da visita à Escola Naval.


Nota do Redactor*: Curiosa a redacção do prato principal em que só as cebolinhas estão no plural.
* Desobedecendo ao acordo ortográfico

domingo, fevereiro 20, 2011

AINDA NO RECIFE

Penso que na praia da Boa Viagem, no Recife, uma manhã de banhos, 4 elementos do grupo que se formou na altura. Estamos práticamente na mesma, é o que vale ser regrado, ou será regado ?

sábado, fevereiro 19, 2011

Faina de mastros

Recordamos aqui a faina geral de mastros a bordo do navio-escola "Sagres", e a manobra que exigia maior esforço dos participantes, quais escravos em filme bíblico, e que consistia na alagem de uma verga bem lá no alto do mastro grande, que, segundo recordo, se chamava "Ostaga" (perdõem-me e corrijam-me os mais versados nestes assuntos...).

quinta-feira, fevereiro 17, 2011

Viagem no NE "SAGRES" 1965: Na praia do castelo.

Na "praia do castelo", mas não a das areias da parte sul da Caparica, antes na unica disponivel naquele momento a bordo da SAGRES, algures no Atlântico Sul.
Em pose o ABaptista, com muita saudade o recordo, o PReynaud, o MSá, que devido ao photoshop, até parece branco, e o autor deste post.
Pneus nem vê-los, e os abdominais bem vincadinhos. Mas tambem só passaram 46 anos.

segunda-feira, fevereiro 14, 2011

A passagem do Equador

Não foi impunemente que, em 1965, em pleno Atlântico, atravessámos pelo primeira vez a linha do Equador, a bordo do navio-escola "Sagres".
Perante tal afronta, Rei Neptuno e a sua Côrte não tiveram outra alternativa senão mandar parar o navio durante um dia, para a realização de um rigoroso julgamento, onde todos fomos acusados pelas nossas imperdoáveis faltas a bordo, e condenados por um qualificado júri que nos impôs pesadas e impiedosas penas.
Desde os banhos forçados mas purificadores numa tina de água preparada para o efeito, até aos beijos repenicados dados por uma loira e voluptuosa Ninfa, cabeluda e mal-cheirosa dos sovacos, tudo nos aconteceu nesse dia, muito divertido e inesquecível, que hoje ao fim de tanto tempo recordamos.
video

domingo, fevereiro 13, 2011

Campeonato Universitário 1967. Futebol de 11

ESTA FOI A EQUIPA, DA ESCOLA NAVAL, VICE-CAMPEÃ NACIONAL UNIVERSITÁRIA DE FUTEBOL, NA FASE FINAL DISPUTADA EM COIMBRA, NO ANO DE 1967. SÃO IDENTIFICÁVEIS 3 CRs, FALTANDO UM OUTRO QUE ESTAVA EMBARCADO NUM PATRULHA E NO MAR.


Da esquerda para a direita:
Em cima: ASilva e Pinho, Gonçalves de Brito, Manuel Martins, Glória Patrício, Arménio Fidalgo e Cunha Serra.
Em baixo: Perlouro, JP Lopes Moreira, Lynce de Faria, Arrobas e JAlmeida Viegas.

sexta-feira, fevereiro 11, 2011

A "SALVA" DA DESPEDIDA

Era o fim de uma parte da carreira que tinhamos escolhido. De Srs. Guardas-Marinha na Escola Naval, ìamos passar a "reles" mono-riscos nos navios e nas unidades em terra. Sobre este dia já passaram quase 45 anos, e pessoalmente ainda me emociono sempre que me confronto com esta época. Por isso e não só, faço tudo por não falhar a presença nos nossos almoços mensais, onde reencontro alguns daqueles que, presumo , tambem disfrutam da minha companhia. Abraços a todos.

quinta-feira, fevereiro 10, 2011

Encontros mensais do CR: Almoço 10FEV2011

Em conformidade com a convocatória do organizador, realizou-se hoje, dia 10, o encontro mensal de Fevereiro do CR, nas Docas, mais precisamente no Restaurante "Tertúlia do Tejo".
Um dia soalheiro excelente em temperatura que permitia almoçar na esplanada, vazia à entrada e à saída, mas não foi essa a solução seguida. Os 11 comensais, de seus nomes AAnaia, ACostaeSilva, AFidalgo, ASPinho, CVCarrasco, EFCarvalho, FMPereira, JSHenriques, MPBento, JVBoas e RMSousa, foram posicionados no 1º andar ocupando a mesa que a foto documenta.


Começando com uma agradável sopa de legumes, passados para poupar trabalho de mastigação, passaram logo a umas conchas de marisco com duas gambas à mostra em posição que já foi vista no kamasutra, estas com um toque de picante diferente. Sendo as conchas pequenas seguiram-se-lhes uns filetes de garoupa desiguais na fritura mas apaladados, acompanhados de batatas e couve-flôr cozidas, com molho tártaro se desejado. Sobremesas muito diversas, doces ou frutas, à escolha. Dos vinhos ficaram-se todos pelo branco, a boa temperatura e aceitável, um tal Monte Sacro até hoje desconhecido dos presentes, que correu em quantidade muito significativa.

No final registou-se a presença do proprietário, acabado de chegar, acompanhado pelo FBValle que marcou com uns momentos de boa disposição e até alguma turbulência interior com descrições pormenorizadas de vivências no Oriente, nomeadamente experiências que metiam a alternância da água quente com o gelo.

Ausentes e sem justificação vários, mesmo dos habituais, um dos irregulares (CSC) assinalado à mesma hora em almoço na EN.

_

quarta-feira, fevereiro 09, 2011

Ex-Casa virtual

Reportando-nos a um "post" publicado neste blogue no verão passado, recebemos agora da Costa Nova do Prado com grau de confiança A1, uma comunicação referida a 04FEV2011 acompanhada da foto que se segue:


Descansaram-nos quanto às instalações sanitárias visíveis que não serão nem as destinadas aos camaradas do curso visitantes nem as definitivas e, relativamente às listas verticais, dúvida que nos assistia - dada a conhecida filiação clubística do proprietário - não ficarão como as das casas dos lados mas em vermelho/encarnado e branco*.

Nota*: Na Câmara Municipal de Ílhavo (CMI) fomos esclarecidos que as cores não foram exigência do proprietário, mas determinação da CMI no sentido de manter as que já existiam.

domingo, fevereiro 06, 2011

Recordando: A gota de água?

O nosso professor de luta militar e de esgrima na EN, Major do Exército, estaria em acumulação com a Academia Militar onde teria respostas substancialmente diferentes quanto à participação e entusiasmo dos alunos.

Nos tempos de aula de luta, em que envergávamos apenas sapatilhas sem meias e calções brancos de ginástica - só brancos no início -, não eram muito agradáveis as aulas em terreno enlameado e irregular cheio de poças de água por detrás do edifício do internato. Passámo-las, muitas vezes, deitados no solo de barriga para cima fazendo de tapete humano e rolante para passarmos e para que nos passassem por cima a correr, outras, em menor número, descendo a rebolar umas escadas de pedra junto à lavandaria e oficinas (onde os das classes de Marinha e AN se julga nunca entraram).

As aulas de esgrima (espada ou sabre?), ministradas num barracão metálico também usado para andebol e futebol de salão e para ordem unida em tempo de chuva intensa pelo saudoso Sargento FZ Guerreiro, eram mais calmas, mesmo um tanto monótonas para a generalidade, com honrosas e raríssimas excepções. Com um pormenor não despiciendo para melhor compreensão do episódio que se vai seguir: a porta deste barracão era muito próxima duma das janelas do rés-do-chão do internato, salvo erro duma das casas de banho.

Nesse dia e vendo o “nosso” Major que já tínhamos muitas semanas de esgrima, informou-nos que os dois tempos de aula iriam ser utilizados para um torneio entre todos os elementos da turma. “Rapando” da lista completa dos componentes da turma, o que não era hábito fazer mas que aí se justificava para organizar os “combates”, fez logo soar um sinal de alarme entre os cadetes presentes dada a costumada retirada estratégica do “C” pela sobredita janela logo na entrada para o barracão. Destacado alguém para o ir chamar à camarata ou à sala de estudo onde provavelmente se encontraria, conseguiu-se que chegasse mesmo sobre o seu momento de entrada em acção. Falha-nos na memória se já todos envergavam o “gilet”, talvez não, porque não deu muito nas vistas mas uma primeira suspeição ao mestre, o facto do camarada “C” ter vestido o gilet exactamente ao contrário do que é próprio, como se tratasse dum casaco. Por sinais lá se conseguiu corrigir esse aspecto e também, por mímica por detrás do instrutor, os movimentos para os cumprimentos para o 1º combate que ía iniciar, lá se ultrapassando esse ponto. O pior viria depois, logo a seguir: o “C” que se tinha auto-dispensado das aulas praticamente desde o seu início, não tendo assistido a qualquer lição ou prática dos ataques e das guardas, não fazendo a mínima ideia do que eram as cinco que nos tinham ensinado e praticáramos. Na sua cabeça teria da esgrima apenas um vago conhecimento, mas apenas do que vira nos filmes de capa e espada do D’Artagnan e dos 3 Mosqueteiros ou com o actor Jean Marais. Assim perante o árbitro, o nosso instrutor, e os dois cadetes nomeados para juízes, dá-se início ao 1º assalto a que todos pudemos assistir e que durou muito pouco. Logo que foi dada a permissão para o assalto, o camarada “C” tenta passar à prática tudo que aprendeu, mas só no grande ecran, avançando furiosamente sobre o adversário à espadeirada, deixando este, limitado pelas posições aprendidas e pela pouca prática limitado nas soluções para a inesperada situação.

O Instrutor, dando ordem de imediata suspensão do assalto por estupefacção com tão grave ofensa a tudo o que vinha ensinando, não queria acreditar no que vira e retirou-se do recinto balbuciando palavras que mal ouvíamos e não conseguimos compreender!

Só aqui entra o que o redactor desta memória calculando que este episódio tenha sido a gota de água que fez transbordar o copo. O “nosso” Major, já há algum tempo com pouca convicção sobre os resultados das suas aulas e sentindo alguma falta de apoio superior para esta instrução tão pouco acarinhada pela área académica, sentiu-se completamente amachucado com o que, por desconhecimento da envolvência, considerou uma enorme afronta. Daí o abandono do recinto com manifesta vontade de ali não voltar o que efectivamente se concretizou. E não mais o vimos.

O “C” talvez já não vá a tempo de lhe pedir desculpa pela afronta que na altura não mediu, nem aos seus efeitos e que na sua juventude não lhe passaram sequer pela cabeça!

sábado, fevereiro 05, 2011

Encontros mensais do CR: 10FEV2011

A nossa próxima reunião do CR será na Tertúlia do Tejo (nas docas de Alcântara), 5ª Feira dia 10 de Fevereiro de 2011 pelas 12:30.
As inscriçôes devem ser comunicadas ao JSHenriques até ás 12:00 de 3ª feira dia 08.

_

quinta-feira, fevereiro 03, 2011

COBERTA DO "BACALHAU" - NRP "CORTE-REAL"

Corria o ano de 1966, quando o nosso Curso embarcou na "CORTE-REAL" e na "DIOGO CÃO", em viagem de instrução, que nos levou até à Guiné, Cabo Verde e Madeira.
Na "CR" na nossa coberta vivia-se um ambiente próximo do que seria um armazém abastecedor de bacalhau seco, cujos odores impestavam o ar de forma naturalmente incomodativa. Muitos dos moradores desta zona , quando irremediavelmente enjoados , culpavam o inocente bacalhau, que incomodava mas não ao ponto de nos fazer regorgitar.
Na foto, identificamos o Anaia, Pinho, Bilreiro, Bento e Ventura. A avaliar pelo facies dos presentes, ou estávamos atracados ou fundeados.
Saudades, malta.

terça-feira, fevereiro 01, 2011

Submarinos e submarinistas

Estando na ordem do dia os submarinos, recentemente por causa da aquisição dos "Tridente" e agora por razão do problema com o Albacora, recordamos que no nosso CR foram submarinistas:

Já falecidos:
Calhau Feitoria e Araújo Baptista.
Bem entre nós, o primeiro ex-comandante de submarino desta classe extinta:
Arménio Fidalgo e Carlos BMoreno

E a propósito,

Os novos Tridente, em gráfico animado:
Ver aqui


Artigo do TCOR Pilav Brandão Ferreira, dos poucos publicados a justificar os submarinos:
Ver aqui

A situação actual do Albacora: